Cidades

CAPITAL » De olho nas calçadas Projeto do governo municipal vai padronizar e devolver espaço com segurança para os pedestres. Ação começa na segunda-feira pela Avenida Raja Gabáglia

Guilherme Paranaiba e
Valquiria Lopes

Publicação: 15/03/2013 04:00

Pedestres que transitam pela Avenida Raja Gabaglia, importante via de ligação entre as regiões Oeste e Centro-Sul da capital, e disputam espaço com carros, lixo, entulho, placas, além dos buracos, degraus e demais irregularidades nos passeios, tiveram uma boa notícia. Terá início na segunda-feira uma força tarefa da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) para devolver aos transeuntes um espaço que sempre foi destinado a eles, mas sofre frequentemente com os abusos dos donos de imóveis e com a falta de fiscalização da administração municipal.


Começando pela Raja, o projeto Amar BH pretende orientar os responsáveis e cobrar as mudanças necessárias, principalmente nas calçadas de 20 avenidas de grande porte, para harmonizar a convivência nesses espaços e criar um padrão, que permita ao pedestre circular com segurança e com mais qualidade de vida. Também estão previstas intervenções do poder público no que se refere ao recapeamento do asfalto dessas avenidas e na criação de novas faixas de pedestres. A expectativa é que os resultados sejam vistos na Raja em 60 dias e em todos os corredores contemplados até dezembro deste ano.


O projeto é liderado pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e participam as secretarias municipais de Meio Ambiente, Segurança Urbana e Patrimonial, além das secretarias regionais, BHTrans e Superintendência de Limpeza Urbana (SLU). Nos demais 19 corredores incluídos na força-tarefa um diagnóstico está sendo concluído.


Segundo o prefeito Marcio Lacerda, a Avenida Raja Gabaglia foi escolhida por enfrentar várias dificuldades. "A Raja é bem simbólica por ser bonita e ter questões a se resolver. O respeito ou a falta de respeito nos passeios refletem a qualidade de vida da população”, garante. O secretário de Serviços Urbanos, Daniel Nepomuceno, explica que a ação não será repressiva logo de cara. “Nosso grande objetivo é orientar os donos de imóveis e informar sobre uma padronização. Se isso não for suficiente entramos com a multa”, afirma.


OUTROS CORREDORES


O projeto ainda prevê a força tarefa em grandes avenidas da cidade, como Afonso Pena, Amazonas, Cristiano Machado e Antônio Carlos (veja quadro). De acordo com o prefeito Marcio Lacerda, a prefeitura já conta com recursos na ordem de R$ 40 milhões para recompor o asfalto de todos os 20 corredores.

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.