Son Salvador

Galo se acerta e Raposa precisa encontrar o gol

Publicação: 02/08/2016 04:00

Ótimo jogo do Atlético contra o Santa Cruz. Mais que o resultado, valeu perceber que o time vai se acertando e que o Robinho está voltando a jogar seu melhor futebol. É bom lembrar que o time ainda tem entrado em campo com alguns desfalques. Marcos Rocha, por exemplo, é o tipo de jogador que acrescenta poder ofensivo à equipe.

Quanto às escalações de Pratto e Fred, o que se espera é que eles tenham tempo para os ajustes. São ótimos jogadores e poderão atuar no ataque do Galo. Outra boa notícia é a volta do Maicosuel. Sua presença deu ao time a velocidade na retomada da bola. Tem sido um jogador de muita aplicação. Defende e ataca com muito fôlego.

E o América não perdeu. Fez um jogo de muita marcação contra o Grêmio, um adversário dificílimo. O Coelhão teve até a chance de vencer, mas o empate contra uma equipe que disputa o título é um resultado animador.

Enderson Moreira mexeu na escalação: não teve medo de promover mudanças, o que deu ao time um fôlego novo, uma postura de quem entende a necessidade da superação. Tomara que siga assim.

Essa derrota do Cruzeiro para o Santos teve o mesmo roteiro de sempre. O time joga um futebol razoável, vai ao ataque, não faz gols e acaba tomando. A história se repete de forma assustadora. Não vejo o Cruzeiro com uma equipe ruim. Mas vejo um time inseguro e sem alguém para definir seus ataques.

Mano Menezes poderia esperar tudo, menos um golaço do Lucas. Por mais estranho que tenha sido, o nervosismo explica tudo. Mas foi um golaço, só que contra.

O treinador cruzeirense sabe que precisa dar equilíbrio ao setor defensivo e que precisa aprimorar a capacidade de finalização do seu ataque. Pode parecer simples, mas o problema é que não há muito tempo para treinamentos. A situação exige uma mudança rápida. E fica uma dúvida: será que o Cruzeiro já tem o centroavante que precisa? Ou será que teremos novas contratações?

Ouvi tanta besteira sobre a entrevista em que o Neymar se irritou com um repórter... Ora, acho que todo entrevistado tem o direito de falar o que bem entender, pode até ficar calado. Mas é preciso deixar bem claro que ninguém suporta mais as perguntas tipo água com açúcar. Repórter tem mais é que botar o dedo na ferida, até para que o entrevistado tenha a chance de se explicar. Não discuto a condição técnica do Neymar, mas, em matéria de Seleção Brasileira, ele segue devendo.

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.