Son Salvador

Tudo azul no Mineiro

Publicação: 06/02/2018 04:00

O clássico foi bom, o empenho de alguns jogadores, a presença da torcida, tudo contribuiu para que o espetáculo fosse de bom nível. Mas, o que pude observar foi que o América no primeiro tempo foi uma equipe defensiva, segurou o ataque cruzeirense, mas a sua área foi muito frequentada. Foi evidente o domínio do time do Mano Menezes. Uma das razões foi a falta de criatividade dos jogadores de meio campo americano. Rafael Moura ficou lá na frente numa solidão tremenda... a bola não chegava e, quando chegava, não tinha qualidade.

Faltou finalizar

O Cruzeiro dominou o meio campo, não teve dificuldades para chegar ao ataque, mas foi precipitado nas finalizações, afunilou o jogo e insistiu em encontrar o Fred, que estava bem marcado. Faltou calma para investir na troca de passes sem rifar a bola pelo alto.

Pintou

O clássico teve apenas um gol, mas não foi simplesmente um tento marcado com falha de defesa ou com uma jogada simples. Foi um gol espetacular. O Cruzamento de Edílson foi perfeito e o Arrascaeta   acertou um voleio que encantou a torcida. Gol de placa. E, convenhamos, pelo que se viu durante o jogo, a vitória foi merecida.

Coelho

O América tem uma equipe bem montada. Mas precisa de alguém que acelere as jogadas de meio campo e um pouco mais de presença no ataque.

A espora do Galo

O jogo caminhava para aquele final sem graça para o time atleticano: um empate seria mais um daqueles resultados para deixar o torcedor preocupado. Pois bem, aquele gol do Ricardo Oliveira deu certo alento. É bom saber que o Atlético conta com um centroavante que sabe tocar a bola por cima do goleiro. A maioria dá um bico e facilita o trabalho do adversário.

Caiu a ficha

O Valdívia deverá jogar pelo São Paulo. Finalmente chegaram à conclusão de que ele não estava acrescentando nada ao time. Longe de ser aquele jogador que se destacou no Internacional, não deu ao Galo o que era preciso no meio campo: velocidade e tabelas. É mais um erro corrigido pela atual diretoria.  Resta saber até quando o clube se iludirá com o Cazares, que até agora não tem mostrado bola para ser titular. Entra em campo sem vontade de vencer, sem a disposição que se espera.

Seguinte

Esse problema que o Atlético vive, de ter que viajar ao Acre para uma partida decisiva, ocorre graças à incompetência da equipe no Brasileirão'2018. Bastariam três pontinhos para o Galo se safar da primeira fase da Copa do Brasil e se ajeitar na Libertadores. Mas o time milionário foi displicente, então, agora é buscar a classificação num jogo que não será tão fácil quanto parece. Se serve de alento, o Cruzeiro em 2017 vivenciou essa fase inicial da Copa e, com competência, chegou ao título.

ELES...

Os dirigentes do nosso futebol querem o árbitro de vídeo, mas não querem despesas. Não seria tão complicado conseguir um patrocínio para a parafernália tão necessária. Mas a coisa esbarra na falta de vontade de CBF. Será que ela quer mesmo reduzir os erros de arbitragem?

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.