Cidades

Greve do metrô em BH tem reflexos nos pontos de ônibus e na procura pelos aplicativos de transporte

Trabalhadores da categoria entraram em greve nesta segunda-feira (21)

mm

Publicado

em

Funcionamento nas estações de metrô, na capital, terá horário reduzido de 10h às 17H, segundo metroviários | Foto: Estação São Gabriel BH, Street View

Pontos de ônibus lotados e muita procura por aplicativos de transporte foi assim que milhares de pessoas, que precisam do metrô em Belo Horizonte, começaram a semana. Os metroviários entraram em greve, nesta segunda-feira (21), e as 19 estações amanheceram fechadas, mesmo com a determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para o funcionamento em escala mínima, das 5h30 às 10h e das 16h30 às 20h, com 100% da frota funcionando nestes intervalos. Ainda, segundo decisão da Justiça, a multa diária é de R$ 30 mil por descumprimento das determinações.

Já representantes do Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro-MG) dizem que há uma escala para atender a população, que vai de 10h às 17h decidida em assembleia pela categoria. Os metroviários entraram em greve por não concordarem com a decisão do governo federal de privatizar o setor.

Sem o metrô circulando os pontos de ônibus estão lotados e há uma grande procura por aplicativos de transporte de passageiros.

ATROPELAMENTO

Está internada no Hospital de Pronto Socorro João XXIII, na capital mineira, uma mulher de 55 anos que foi atropelada por um ônibus por volta das 6h, desta segunda-feira (21). Ela estava atravessando uma das ruas do entorno da praça Raul Soares, no centro de BH, quando foi atingida. O Corpo de Bombeiros não informou qual a empresa de ônibus. A vítima foi socorrida pelos bombeiros, estava consciente e apresentava uma possível fratura na perna direita. Até o momento, não tivemos informações sobre o quadro de saúde da mulher atropelada.

(O portal AQUI segue atualizando as informações).

Receba as notícias do Aqui de graça no seu celular. Inscreva-se.