Cidades

Polícia Federal: quadrilha do mel falso lucrou R$ 4 milhões em MG

Publicado

em

Polícia Federal - Divulgação

A Polícia Federal (PF) deflagrou uma operação na cidade de Campestre, no Sul de Minas, visando prender alvos de uma quadrilha que comercializava mel falso em cidades do estado e também em São Paulo.

A Operação Xaropel II identificou registros falsos da quadrilha para conseguirem autorizações para comercializar os produtos no Sistema de Inspeção Federal (SIF). 

80 policiais federais estão cumprindo 16 mandados de busca e apreensão contra os integrantes do grupo, que só em 2023 pode ter movimentado R$ 4 milhões com a comercialização do xarope, que simula o sabor do mel.

A primeira fase da operação aconteceu em 2021 e envolveu a apreensão de bens dos suspeitos no valor de R$ 16 milhões.

“Apurou-se que o açúcar invertido era adquirido por aproximadamente R$ 3 o quilo e, após a fraude, com a colocação da embalagem falsificada, o ‘mel fake’ era vendido no varejo por até R$ 60 o quilo – um ágio de 2.000%. A adulteração de mel na região é recorrente, mas tem sido combatida continuamente pelas autoridades”, diz nota da Polícia Federal.

Com pena de até 12 anos de cadeia, os suspeitos vão responder pelos crimes de associação criminosa, falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de substância ou produtos alimentícios, invólucro ou recipiente com falsa indicação e falsificação de selo ou sinal público.

Receba as notícias do Aqui de graça no seu celular. Inscreva-se.