Curiosidades

Sobrinha posta carta para o tio, médico encontrado morto no RS

mm

Publicado

em

Reprodução/Instagram

O falecimento do médico Leandro Medice, de 41 anos, causou profundo pesar entre familiares e amigos, deixando um vazio difícil de ser preenchido. Ele foi encontrado sem vida em um abrigo em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, onde estava atuando como voluntário para socorrer as vítimas das recentes enchentes que assolam o estado. Sua sobrinha, a nutricionista Amanda Medice, expressou sua dor e saudade em uma comovente carta nas redes sociais, revelando a proximidade e o amor que tinham um pelo outro.

Amanda descreveu Leandro como mais do que um tio, mas como um pai, destacando a dificuldade em aceitar sua repentina partida. Seu relato tocou muitos conhecidos e seguidores nas redes sociais, evidenciando a magnitude da perda.

O médico partiu do Espírito Santo em direção ao Rio Grande do Sul no domingo, 12 de maio, sendo encontrado sem vida no dia seguinte. As circunstâncias apontam para a possibilidade de um mal súbito como causa de seu óbito.

Na carta comovente, Amanda compartilha os planos e preocupações de Leandro, mencionando até mesmo um almoço que planejavam juntos para a semana seguinte. O texto reflete a incredulidade diante da repentina partida e o impacto devastador que teve sobre a família e amigos próximos. Leia a seguir.

“Carta aberta para o meu dindo:

Morrer é ridículo.

Você combinou o que iríamos almoçar na semana seguinte, está com planos de reformar sua casa, está preocupado com contas, com várias ideias para o instituto… e do nada, pela manhã, morre. Como assim??? E os e-mails que você não leu? sua toalha molhada no varal? suas roupas para lavar? o instituto para limpar? os pacientes? a nossa família? Você passou mais de 10 anos estudando, se profissionalizando… fez fisioterapia, medicina, se especializou em cardiologia, intensivista, transplante capilar… De uma hora pra outra, tudo termina num infarto no meio da tragédia que você foi ajudar no Rio Grande do Sul.

Morrer é uma loucura. Te obrigada a sair da festa na melhor hora, sem se despedir de ninguém, sem ter um último abraço ou um último “te amo”. Dindo, meu amor, éramos tão iguais e nunca me imaginei escrevendo isso para você… para sempre serei sua filha, sua cópia!

Eu te amo além da vida,

com amor,

sua filha do coração,

Amanda.”

Morte repentina 

Leandro Medice era querido por sua família, amigos e pacientes. Como cardiologista, não tinha histórico de doenças graves, tornando sua morte repentina ainda mais chocante. Enquanto estava no abrigo em São Leopoldo, como voluntário para auxiliar as vítimas das enchentes, ele foi encontrado sem vida, levantando suspeitas de um mal súbito como causa do óbito.

Seu marido, João Paulo Martins, com quem era casado há seis anos, descreveu Leandro como uma pessoa saudável e dedicada ao seu bem-estar. Nas redes sociais, o casal compartilhava momentos de felicidade em viagens e passeios juntos, demonstrando o carinho e a cumplicidade que compartilhavam.

Antes de embarcar para sua missão humanitária no Rio Grande do Sul, Leandro compartilhou um vídeo em que expressava sua disposição e emoção em participar de sua primeira ação de ajuda humanitária.

Receba as notícias do Aqui de graça no seu celular. Inscreva-se.