Esportes

Ídolo do Atlético é citado para auxiliar Ancelotti na Seleção

mm

Publicado

em

Carlo Ancelotti foi anunciado como o novo treinador da Seleção
Frank Fife/AFP

Embora a chegada de Carlo Ancelotti para assumir a Seleção Brasileira seja dada como certa pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol), um pré-contrato ainda não foi assinado. No comando do Real Madrid, caso a negociação seja feita, o italiano só assumiria a nova função em 2024, mas as expectativas já estão grandes. O comentarista esportivo e ex-jogador, Walter Casagrande, já até mesmo citou um ídolo do Atlético para auxiliar o estrangeiro.

Segundo o ex-Corinthians, Toninho Cerezo, ex-jogador do Galo, e Falcão, ex-jogador do Internacional, seriam ótimos nomes para a comissão de Ancelotti. Isso porque, eles poderiam ajudar o novo técnico quanto a abordagem tática e estilo de jogo por terem atuado na Seleção de 1982 e no futebol italiano.

“Ele tinha que ter, caso seja o Ancelotti mesmo, uma assessoria de cara que ele confia. Falcão, Cerezo ou os dois, pelo que jogaram com ele, poderiam ajudar na colocação dele dentro do futebol brasileiro: morando aqui, vendo jogo aqui, acompanhando, com duas pessoas que ele confia muito”, disse Casagrande no programa “Fim de Papo”, do UOL.

De acordo com o atual comentarista, a conexão com Ancelotti seria facilitada e consequentemente, o desenvolvimento do futebol da Seleção sob o modo de jogo do estrangeiro também. “Eles têm esse relacionamento mais afetivo, de ídolo… os caras se gostam. Um admira o outro”, concluiu Casão.

No momento, o que impede a assinatura de um pré-contrato de Ancelotti com a Seleção é uma cláusula do acordo com o Real Madrid, já que o treinador pode acionar a renovação a qualquer momento. Além disso, em caso de algum descumprimento com o clube, o italiano pode enfrentar um processo na Fifa.

Receba as notícias do Aqui de graça no seu celular. Inscreva-se.