Notícias

Delegado traça perfil comportamental de suspeito de abusar sexualmente de criança

A mãe da vítima, de 6 anos, também pode ser indiciada por não garantir a segurança do filho, segundo polícia

mm

Publicado

em

Polícia Civil já sabe a localização de adolescente suspeito de abusar sexualmente de criança de 6 anos. Foto: Redes Sociais

De acordo com o delegado Adnan Cassiano Grava, responsável pelo caso em Muzambinho, no Sul de Minas Gerais, o jovem de 16 anos supostamente autor do crime tem um histórico de mau comportamento. Até o fim da tarde, desta quarta-feira (30), a polícia aguardava mandado da Justiça para apreender o suspeito. Ele fugiu de casa, mas já foi localizado e está sendo monitorado por policiais.

O delegado afirma que existem mais de 10 ocorrências de problemas provocados pelo suspeito dentro da escola onde ele estuda. Mas, até o momento, não houve nenhuma queixa contra o suspeito em relação a qualquer tipo de abuso sexual na escola ou em qualquer outro lugar da cidade.

“Não ouvimos o suspeito ainda. Nosso objetivo é colher o maior número de informações possíveis para esclarecimento do caso. Mas, já adiantamos que a mãe da criança supostamente abusada também deve responder, de alguma forma, por abandono de incapaz. O ato sexual teria ocorrido dentro do banheiro da casa dela, enquanto a mulher também estava na residência. Ela perguntou o que teria acontecido no local. O suspeito disse que nada havia acontecido, mas a suposta vítima falou que o adolescente teria colocado o pênis na boca dela. A mãe, no entanto, não fez nenhuma denúncia. O caso só chegou à polícia após informação do Conselho Tutelar, mais de 48 h depois do acontecimento”, afirma o delegado.

Adnan Grava disse, também, que o adolescente conhece a criança que teria sofrido abuso desde que ela nasceu. Na época, ele tinha 10 anos de idade e, desde então, mantinha visitas à casa. Especialistas em psicologia forense, afirmam que o caso demonstra possível distúrbio de comportamento do adolescente. Como se alguma fantasia sexual (no imaginário) estivesse ligada à criança possivelmente abusada, não especialmente por pedofilia (o que não foi apontado pela polícia), mas por prazer em ter dominação e controle, já que a vítima é vulnerável (frágil, fácil de segurar fisicamente e o suposto autor tinha livre acesso ao local).

A polícia não tem informações sobre o paradeiro do pai da criança supostamente abusada e afirma que o lar onde ela vivia era extremamente problemático, inclusive, com abuso de drogas. “Além da criança existem mais irmãos, alguns já adolescentes. No entanto, não temos nenhuma informação de que a mãe da criança ou qualquer pessoa da família tenha qualquer tipo de relação sexual ou amorosa com o suspeito do crime”, afirma.

ENTENDA O CASO

O repórter Pedro Faria, da equipe do portal Aqui, está acompanhando a ocorrência desde o início. No último sábado (26), um adolescente de 16 anos teria abusado sexualmente de uma criança de 6 anos dentro da casa dela. Segundo os relatos, o suspeito teria aproveitado um momento de descuido da mãe da criança para levá-la até o banheiro e, lá dentro, cometeu o crime. Apesar do fato só ter ocorrido no sábado (26), a mãe resolveu fazer o Boletim de Ocorrência na segunda-feira (28), após conversar com o conselho tutelar. A criança de 6 anos foi retirada de casa pelo conselho tutelar e levada até uma casa de acolhimento da cidade. Desde terça-feira (29) o delegado ouviu várias testemunhas.

Receba as notícias do Aqui de graça no seu celular. Inscreva-se.