Notícias

Operação Pão Duro: MPMG investiga fraude tributária em empresa de alimentos

Publicado

em

Ministério Público está investigando empresa desde 2019. Foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press

O Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA), deflagrou nesta manhã de quarta-feira (23), a operação Pão Duro. O objetivo é apurar crimes tributários em razão da venda sem nota fiscal de mercadorias por uma empresa de alimentos congelados. Além de crimes tributários, diretores, funcionários e laranjas são investigados por crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.Estima-se que foram sonegados mais de R$ 60 milhões.

No total, 30 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos. 16 são em residências de pessoas investigadas por envolvimentos nos crimes e 14 em endereços de empresas relacionadas.

Segundo o MP, a investigação teve início em 2019, a partir de uma notícia crime encaminhada pela Receita Estadual, que noticiava a prática de fraude mediante vendas sem nota fiscal por empresa especializada na comercialização de produtos congelados.

Em 2022, a investigação foi definida como prioritária no planejamento do CIRA. A investigação tomou conhecimento sobre a formação e organização do grupo econômico, que dividia o seu negócio em diversas empresas. Além disso, descobriram quais estratégias eram usadas para ocultar das autoridades o patrimônio dos investigados.

Seis promotores de Justiça, nove servidores do MPMG, 62 servidores da Receita Estadual e 72 policiais, entre eles militares e civis, estão participando do cumprimento de mandados em Belo Horizonte, Contagem e Luz. Existem também alvos em São Paulo, Barueri, Praia Grande e Santana do Parnaíba.

Receba as notícias do Aqui de graça no seu celular. Inscreva-se.