Notícias

Polícia Civil conclui inquérito e indicia seis pessoas por morte de criança em ritual em Frutal

A menina de 5 anos foi morta queimada durante um ritual espiritual em Frutal. Seis pessoas, incluindo a mãe, foram indiciadas.

Publicado

em

Foto: Reprodução

Seis pessoas foram indiciadas pela Polícia Civil pela morte de uma criança de 5 anos em um ritual espiritual na cidade de Frutal, no Triângulo Mineiro. 

A mãe, a tia, o avô e a avó da criança foram indiciados por homicídio doloso. Além deles, um líder espiritual e o auxiliar que participou do ritual também vão ser julgados. 

A Polícia Civil também solicitou que as prisões fossem convertidas de temporárias para preventivas. O pedido foi aprovado para todos, menos o avô da vítima e o auxiliar do líder espiritual, que estão em liberdade provisória. 

O crime

No dia 23 de março deste ano, Maria Fernanda Camargo, de 5 anos, morreu queimada durante um ritual religioso em uma casa em Frutal. O líder espiritual teria jogado álcool com ervas no corpo da criança e, depois, ateado fogo com uma vela. A menina chegou a ser socorrida mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Ela teve 100% do seu corpo queimado.

Inicialmente, os suspeitos apresentaram uma versão de que a criança havia sido queimada após brincar com álcool próximo de uma churrasqueira. As investigações avançaram e mostraram indícios de envolvimento com um ritual para invocação de espíritos.

No dia 20 de abril, a mãe, a avó, o avô, uma tia e o líder espiritual foram presos. 

No último dia 16, os envolvidos no criem participaram de uma reconstituição da morte da criança.

Segundo o delegado Murilo Antonini, responsável pela investigação, a investigação está em fase final e, assim que for concluída, as diligências serão encaminhadas para a Justiça.

Receba as notícias do Aqui de graça no seu celular. Inscreva-se.