Notícias

Sete pessoas são indiciadas por desvio de recursos públicos em Medina

A principal pessoa envolvida no esquema trabalhava na Secretária de Saúde da cidade que fica no Vale do Jequitinhonha.

Publicado

em

Foto: Reprodução/Google

A Polícia Civil indiciou sete pessoas por formarem uma organização que desviava recursos públicos em Medina, cidade do Vale do Jequitinhonha. Os inquéritos foram concluídos nesta quarta-feira (27). As investigações indicam que o grupo tenha desviado mais de R$ 100 mil dos cofres da cidade.

O trabalho dos policiais começou em dezembro de 2021, quando a Prefeitura Municipal apresentou à PCMG uma notícia crime dizendo que uma servidora pública estaria se apropriando de recursos do TFD (Tratamento Fora do Domicílio), programa destinado a auxiliar financeiramente pessoas que não podem realizar tratamentos de doenças em seu município. Essa funcionária trabalhava na Secretaria de Saúde da cidade. 

A fraude foi descoberta após uma auditoria interna realizada pela Prefeitura. De acordo com as investigações, a ex-servidora trabalhava na parte de autorização dos TFDs. Durante esse processo, ela fraudava os documentos, com nomes indevidos de pacientes, simulando doenças e falsificando assinaturas. Dessa forma, ela conseguia desviar recursos destinados à ajuda de custo dos pacientes.

Os policiais também descobriram que o marido da mulher aliciava pessoas para aparecerem como acompanhantes dos supostos pacientes e, assim, realizarem os saques dos valores desviados.

A ex-servidora, seu marido e os outros 5 suspeitos foram indiciados pelos crimes de associação criminosa e peculato. Se condenados, podem pegar uma pena de até 15 anos de prisão.

Receba as notícias do Aqui de graça no seu celular. Inscreva-se.