Polícia

Homem é preso por agredir e manter companheira isolada em fazenda

Mulher, que era do Reino Unido e só fala inglês, sofria abusos psicológicos e vivia isolada com o companheiro em uma fazenda

Publicado

em

Casal vivia em uma fazenda no povoado de São Tomé, zona rural de Cordisburgo na região Central de Minas Gerais | Foto: Reprodução Google Street View

Está preso, em Cordisburgo, região Central de Minas Gerais, um homem de 41 anos suspeito de agredir a companheira. A prisão foi feita pela Polícia Civil, após a mulher fazer uma denúncia por meio de uma ferramenta em um site de buscas na internet que redireciona as mensagens às forças de polícia.

De acordo com a Polícia Civil, a mulher, de 52 anos, é natural do Reino Unido e só se comunica em inglês. Ela informou que vivia com o companheiro em uma fazenda na zona rural de Cordisburgo e que sofria violência doméstica do companheiro.

Agressões

Depois de investigações das Polícias Civil e Militar, o casal foi encontrado em uma fazenda no povoado de São Tomé. Em depoimento aos policiais, a mulher confirmou que era agredida fisicamente pelo companheiro. A vítima disse ainda que o homem também a coagia emocionalmente e a ameaçava constantemente.

O casal se conheceu por meio de uma rede social, há três anos. Depois de morarem em São Paulo, os dois foram viver no Reino Unido por dois anos e em fevereiro, retornaram para o Brasil e escolheram Cordisburgo para viver.

Ameaças

Durante o período em que viviam no Brasil, após a sequência de agressões, a mulher decidiu se separar do companheiro e retornar para o Reino Unido. Aos policiais, a vítima disse que o homem não aceita o fim do relacionamento e que começou limitar o acesso dela a amigos e outras pessoas.

A mulher disse à polícia que amigos conseguiram comprar uma passagem aérea para que ela retornasse ao Reino Unido. Para tentar impedir a viagem, o companheiro quebrou o telefone celular da vítima e não a deixava ter acesso a dinheiro.

Denúncia

Depois de conseguir um aparelho celular, que não completava ligações, conectava-se à rede wi-fi da fazenda onde viviam, a mulher entrou em contato com a polícia. Com acesso à internet, a vítima conseguiu enviar as mensagens denunciando os maus tratos e agressões à Delegacia de Cordisburgo.

Depois de ser libertada, a mulher decidiu não registrar a denúncia e seguiu para Belo Horizonte de onde embarcou para retornar ao Reino Unido.
Mesmo sem a denúncia formal, a Polícia Civil deu prosseguimento as investigações e indiciou o homem pelos crimes de violência doméstica e outros delitos previstos pela Lei Maria da Penha. O processo foi encaminhado para a Justiça e será analisado pelo Ministério Público de Minas Gerais.

Receba as notícias do Aqui de graça no seu celular. Inscreva-se.