Conecte-se conosco

Notícias

HEPATITE MISTERIOSA: subiu para 6 os casos da doença em MG

Segundo Secretaria de Saúde de Minas Gerais, os casos foram registrados na capital e diferentes regiões do estado.

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde informou, neste sábado (21), que investiga seis suspeitas de hepatite aguda de causa desconhecida. | Foto: Pexels

Os registros de casos da doença foram em Belo Horizonte (2), Juiz de Fora (2), na Zonta da Mata, Montes Claros (1), no Norte de Minas e Lagoa Santa (1), na Região Metropolitana, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES). Outros três casos estão descartados pela SES, após testes em Montes Claros (2) e Divinópolis (1).

Os principais sintomas relatados pelos pacientes foram: dor abdominal e vômitos, acompanhados de alterações de enzimas hepáticas. Os médicos explicam que a hepatite é uma inflamação no fígado que pode ser causada por diversos motivos como alcoolismo, excesso de medicamentos e presença de determinados vírus. Ainda de acordo com eles, os agentes infecciosos mais comuns são os causadores dos tipos A, B, C, D e E. O tipo A é o mais frequente e, também, o mais benigno entre as crianças. Já a hepatite aguda grave, que é está que vem sendo relatada nos últimos meses em Minas Gerais e outros estados, é caracterizada por uma inflamação que surge de forma inesperada. Ela costuma provocar diarreia, vômito, febre, dores musculares e coloração amarelada na pele e nos olhos (principais características da icterícia).

DOENÇA MONITORADA

Em levantamento feito pelo Ministério da Saúde, 70 casos foram notificados nos últimos meses no país, mas, desse total 12 foram descartados. Segundo a pasta, os demais diagnósticos ainda não foram confirmados. O Ministério da Saúde ressalta, ainda, que essas infecções estão sendo monitoradas por uma Sala de Situação, criada para apoiar as investigações e o levantamento de evidências para identificar as possíveis causas. Os trabalhos contam, ainda de acordo com o Ministério da Saúde, com a participação de pesquiadores brasileiros e da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). Para alguns imunologistas, a causa da doença pode estar relacionada ao Adenovírus 41, que provoca grande parte das doenças respiratórias e pode, também, afetar o trato gastrointestinal. Como é um vírus bastante comum, pesquisadores investigam o motivo desse vírus, tão comum, estar causando hepatite, principalmente em crianças.

O infectologista Marco Aurélio Sáfadi, presidente do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) descarta a relação entre os casos de hepatite infantil aguda e a vacina contra a Covid-19. Ele explica que, a maioria desses casos de hepatite aguda estão sendo relatados em crianças abaixo da faixa etária de indicação para a vacina da Covid-19. Ou seja, são crianças que nem chegaram a receber doses da vacinação. Já o presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Renato Kfouri, informa que os casos ainda estão sendo devidamente estudados e ressalta que o comum em todos eles é que estão atacando crianças e apresentam as mesmas características de hepatites normais. O alerta é para a gravidade dos casos porque nas hepatites “comuns” os quadros dificilmente evoluem para insuficiência hepática e necessidade de transplante. E é isso que está acontecendo, agora, e preocupando as autoridades em saúde.

Continue lendo
Clique para comentar
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments